CAPA FANPAGE_CAMPANHA_AURORA.jpg

Propostas para

CULTURA

​A cultura tem que ocupar a centralidade de qualquer projeto político democrático. Através da cultura, reforçamos identidade, pertencimento ao território, autoestima e criticidade: a cultura fomenta a cidadania, além de ter a capacidade de transformar nossa cidade. Por isso, nossa defesa de um projeto politico que tem a cultura no centro do debate e das decisões.

  1. Propor o projeto de LEI DA CULTURA POPULAR, com ênfase na valorização da nossa cultura popular e seus mestres e mestras, curricularização da cultura na educação pública, garantia de condições adequadas para as festas e manifestações tradicionais, cachês dignos e para o repasse geracional, assegurando a continuidade e a preservação do nosso patrimônio cultural.
     

  2. Acupuntura urbana cultural: estimular projetos culturais de diversas linguagens que revitalizem os espaços públicos do Recife, como a Praça Maciel Pinheiro e a Praça do Diário.
     

  3. Lutar pela transformação da antiga casa de Clarice Lispector em um museu dedicado à memória da escritora.
     

  4. Propor projeto de lei que estabeleça a criação de um calendário de ações culturais nas periferias com programação formada por artistas e grupos culturais de Pernambuco, unindo cultura, educação, economia criativa e turismo.
     

  5. Promover, junto à sociedade e às instâncias administrativas, debate sobre a atualização, desburocratização e submissão por meio digital do edital do SIC Municipal, a fim de torná-lo mais eficiente e acessível a todos os artistas do Recife, sobretudo para pessoas não alfabetizadas e sem acesso à educação formal, possibilitando a submissão de propostas por áudio ou vídeo.
     

  6. Propor projeto de lei que estabeleça garantia de cota de artistas provenientes de povos tradicionais, das culturas populares e tradicionais, periféricas(os), negras(os), com deficiência, LGBTQI+ nas programações dos ciclos e eventos realizados com aporte financeiro do Município do Recife.
     

  7. Defender a adoção de programas municipais que ampliem e democratizem o acesso de estudantes, profissionais da rede de ensino municipal, assim como suas famílias, a espetáculos teatrais e de dança, ao circo e à ópera.
     

  8. Lutar pela requalificação e estruturação dos equipamentos públicos municipais.
     

  9. Lutar pela criação de editais simplificados de ocupação de pautas dos equipamentos públicos municipais, com cota para artistas provenientes de povos tradicionais, das culturas populares e tradicionais, periféricas(os), negras(os), com deficiência, LGBTQI+.
     

  10. Mapear os territórios, centros, equipamentos, pontos e pontões de cultura e leitura, bibliotecas comunitárias, territórios de vivência cultural, teatros, centros culturais, instituições e entidades que desenvolvem ações artísticas e culturais da cidade do Recife, a fim de criar um roteiro turístico e cultural e de pensar políticas públicas para fomento e manutenção desses espaços e territórios.
     

  11. Debater com os artistas e brincantes das culturas populares um novo formato para o Concurso Carnavalesco do Recife.
     

  12. Propor projeto de lei que estabeleça a criação e o cumprimento de um calendário de pagamento nas contratações culturais, incluindo ciclos e festivais realizados pelo município do Recife.
     

  13. Propor projeto de lei que estabeleça teto máximo de cachê nacional e internacional e piso mínimo de apresentação, a fim de evitar desproporção radical entre cachês, desigualdades nas condições de apresentação, na divulgação e no tratamento dado a artistas internacionais, nacionais e locais nos eventos, ciclos e festivais das distintas linguagens culturais, assegurando dignidade aos artistas locais.
     

  14. Propor projeto de lei que estabeleça critérios para o piso mínimo individual em apresentações culturais, levando em consideração grupos com elevado número de participantes.
     

  15. Lutar pela garantia de condições dignas de apresentação para todos os artistas, incluindo os de circuito de chão, tornando obrigatório, no mínimo, camarim coletivo, com banheiro e água e, preferentemente, comida.
     

  16. Lutar pela divulgação adequada das apresentações culturais em suas distintas linguagens, realizadas por artistas locais, de modo a proporcionar a educação cultural e promover a valorização das culturas e artistas locais.
     

  17. Lutar para garantir local adequado para as apresentações dos artistas das culturas populares e tradicionais, sobretudo nos polos que recebem artistas e grupos do circuito de chão, levando em consideração iluminação, segurança, facilidade de acesso do público, bem como horário das apresentações, garantindo o acesso de famílias que dependem do transporte público.
     

  18. Propor projeto de lei que estimule a criação de cineclubes em empresas com mais de 100 funcionários.